Convidar amigo para visitar esta pgina

PlataformaSuperior Plataforma Superior - trigenium
Newsletter

 Slides em Ingls Twitter

 

 

Processo de Bolonha

2 Parte

  • Principais Linhas de Aco
    1. Adopo de uma estrutura de graus baseada em trs ciclos: licenciatura, mestrado e doutoramento.

  • Ao primeiro ciclo (licenciatura) correspondem normalmente 180 crditos e trs anos curriculares. 

    As melhores empresas para trabalhar

    Excepo feita para os cursos em que se verifique ser necessria uma formao mais longa para a obteno das competncias necessrias ao exerccio da profisso, por exemplo: medicina, enfermagem, medicina veterinria, farmcia, arquitectura...

  • Para a concluso do Mestrado (segundo ciclo) necessrio obter 90 a 120 crditos, durante trs ou quatro semestres curriculares. No ensino universitrio, o mestrado deve promover uma especializao de natureza acadmica, enquanto que no ensino politcnico a especializao deve ser de natureza profissional.
  • O nvel mais elevado de educao, o Doutoramento dever ter a durao de trs ou quatro anos.

    2. Criao de um sistema europeu de transferncia de crditos (ECTS - European Credit Transfer System), que indicam o volume de trabalho do estudante (tendo por base as horas totais dedicadas ao estudo, aulas, exames, trabalhos, etc..). Este sistema j existia no mbito do Programa Scrates/Erasmus e o Processo de Bolonha veio generalizar a sua aplicao, garantindo o reconhecimento dos ttulos acadmicos e dos estudos efectuados noutros pases, cidades ou instituies de ensino superior. Desta forma, os processos formativos tornam-se mais flexveis, pois no se exige que se iniciem e terminem na mesma instituio.

    3. Garantia e certificao da qualidade do ensino superior. Cada estabelecimento de ensino superior dever promover sistemas prprios de garantia/desenvolvimento de qualidade, sistemas estes que devero ser passveis de certificao por entidades externas instituio. Os sistemas

     de certificao devero avaliar os programas e instituies atravs de: avaliao interna (nacional); avaliao externa (realizada por pases parceiros); participao dos estudantes e publicao de resultados.

    4. O processo de formao deixa de estar centrado no ensino e passa a estar centrado na aprendizagem, com base na equao 70% prtico e 30% terico. Neste processo de desenvolvimento de competncias, abordam-se os temas especficos de cada curso e rea de estudo, mas tambm competncias transversais como a capacidade para analisar situaes e resolver problemas, capacidades comunicativas, liderana, integrao em equipa, adaptao mudana, capacidade de seleccionar informao, de a organizar e sintetizar, etc.;

    5. Promoo da mobilidade de estudantes, docentes e pessoal no docente. A mobilidade que, por si s constitui uma fonte de aprendizagem, ser assegurada e facilitada pelo sistema de transferncia e acumulao de crditos.
    Desta forma, facilita-se o intercmbio entre estabelecimentos de ensino nacionais assim como entre estabelecimentos de ensino superior nacionais e estrangeiros.

    6. Percepo da formao como algo que no se esgota na estrutura tradicional do Ensino Superior e se desenvolve ao longo da vida. Atravs do Processo de Bolonha pretende-se que a aprendizagem englobe todo um conjunto de outras actividades de formao, nomeadamente: programas de mobilidade, e-learning, investigao, educao vocacional, reconhecimento de qualificaes.


     

    As melhores empresas para trabalhar

    Fontes:
    http://www.mctes.pt/docs/ficheiros/Decreto_Lei_no_74___2006.pdf
    http://www.dges.mctes.pt/Bolonha/
    http://www.unl.pt/unl/bolonha/

 

 


Politica de privacidade