Logo PlataformaSuperior.com

 

Trigenium mascara de ouro

 

 

História da pichação.

Desde a pré-história que o Homem sente necessidade de se expressar no seu meio e as inscrições ou desenhos em rochas, muros e paredes são usados com vários significados e objectivos desde há muito tempo.
 Nos dias que correm, não é difícil para quem circula em algumas áreas das cidades e arredores deparar-se com uma enorme quantidade de figuras verbais e não verbais, de formas mais ou menos elaboradas, feitas ilegalmente (ou legalmente) com tinta spray em locais públicos ou privados, como paredes, muros.
 Manifestações de arte, ou rebeldia, legais ou ilegais aparecem também junto às vias de circulação e estações de comboios,  um pouco por toda a parte.
 O graffiti é algo que podemos observar quotidianamente nas áreas urbanas e semi-urbanas.

 A história da da pichação, teve origem nas práticas do graffiti, assim como o rap e o break-dance. São consideradas componentes características do movimento hip hop que surgiu nos bairros mais estigmatizados dos Estados Unidos, nomeadamente em Nova York, durante a década de 70. Este movimento foi impulsionado por Afrika Bambaata, quando um amigo seu, membro do seu gang, foi morto pela polícia.
Mais tarde, Bambaata tomando consciência da violência e das condições de vida existentes no Bronx, abandona o gang e dedica-se à música, criando um movimento apolítico, Zulu Nation, anti-violência, anti-racismo, assente em princípios como o respeito pelo próximo e pela diferença, a solidariedade, a tolerância e a criatividade.
 

Duvida. Como se escreve: Pixação ou Pichação? O correto é Pichação.

Xarpi à antiga. Grafismo ou pichação?
Documento especial de pixação 1991 na cidade do Rio de Janeiro

(...) se o graffiti passasse a ser legal ia ser, desculpa lá a expressão, ía ser uma merda porque ía perder toda a cena que pra mim é importante no graffiti (...) se o graffiti passasse a ser legal, eh pá, ía tirar praticamente toda a piada (...), eu pra mim deixava de chamar a isso graffiti e começava a chamar... pá, arte, (...) e eu deixava de fazer sem dúvida nenhuma.”
(entrevistado - 18 anos, estudante do ensino superior)

Glossário. Dicionário de pichação.

Bomber – Graffiter que pratica bombing.
Bombing – Graffitis que se realizam rapidamente, sendo normalmente pouco
elaborados e frequentemente a apenas uma ou duas cores (usualmente preto e prateado)
Color Pieces – Graffiti a cores bastante cuidado e elaborado, com fundos trabalhados e
letras adornadas ou desenhos.
Crew – Conjunto de graffiters que habitualmente pintam juntos e que assinam sob uma
mesma assinatura que identifica o colectivo.
Crossar – Pintar ou riscar sobre um graffiti alheio.
Graff – o mesmo que Graffiti.
Graffiti – Arte plástica da cultura Hip-Hop e que consiste na pintura com latas spray.
Hall of Fame – Muro ou parede grande legalizado pintado com uma sequência
relativamente longa de color pieces.
 

Hip Hop – Cultura urbana específica composta pelo graffiti, rap e break dance.
Latas – Latas de tinta em spray.
Props – Parabéns ou felicitações enviadas através da parede a graffiter, crews, ou
amigos.
Skills – Conjunto de técnicas dominadas por um graffiter.
Tag – Assinatura do autor do Graffiti
Tagar – Escrever o tag com letras desenhadas com uma só linha de tinta
Writer – O mesmo que graffiter.
Writing – O mesmo que graffiti.
 

Vídeos

Tecnologia com humor

Marketing Viral e humor

Automóveis

Esporte Futebol

Romanticos

Musicais Memórias 1

Musicais Memórias 2
Musicais Memórias 3
Roberto Carlos
Recordar Brasil