Piadas de português

Piadas de português que se contam no Brasil.
Aqui seguem algumas !!! Para os mais sensíveis...,
...piada é piada. Que o digam os alentejanos e os gaúchos.
AMOR OU INTERESSE?
- Diz-me, Manoel, tua mulher faz contigo por amor ou por interesse?
- Olha, Joaquim, eu acho que é por amor...
- Como sabes isso?
- Porque ela não demonstra nenhum interesse!!!
MANOEL NA ZONA
Manuel chega na zona louco por um programinha e pergunta pra
cafetina: - Quanto está a custaire o coito com uma das meretrizes? -
Depende do tempo! diz a cafetina.
- Pois, baim... Suponhamos que chova...
MANOEL NO RESTAURANTE
O Manoel entra no restaurante e pede: - Por favor, me dá uma
bacalhoada! Ao que o atendente pergunta: - Já sei! O senhor é português?
- Como descobriste? Foi por causa do meu sotaque ou pelo fato de eu
ter pedido bacalhoada? - Nem um nem outro... É que aqui é o Mc Donald's!!!
MANOEL NO BRASIL
O Manoel estava voltando da viagem que fizera ao Brasil.
Chegando no aeroporto, seu amigo Joaquim o esperava.
- E aí Manoel, como foi de viagem?
- Muito bom...
- E o que tu mais gostaste no Brasil??
- Ah, das praias, da mulherada! É uma maravilha!!!!
- E do que tu não gostaste???
- Ah, das escadas rolantes... Acreditas que um dia eu estava
subindo e acabou a energia elétrica... Eu fiquei lá parado em pé por
mais de 2 horas!!! - Ê Manoel, mas tu és burro hein!!!! Por que 
não te sentaste???
MANOEL E O LEPROSO
O Manoel foi preso numa cela em frente à de um leproso.
Dia após dia, ele observava o leproso cuidando de suas feridas.
Até que certa vez, caiu um dedo do leproso.
Este o pegou e o atirou pela janela.
Uma semana depois, caiu outro dedo e o leproso atirou-o pela janela.
Algum tempo depois, caiu uma orelha, o leproso atirou-a pela janela.
Uma semana depois, caiu o pé, o leproso atirou-o pela janela.
Aí, o Manoel não aguentou mais e pediu uma audiência com o diretor.
- Olha, senhor diretor, eu não quero ser chamado de dedo duro, mas o
gajo*  que está na cela em frente a minha está fugindo aos pouquinhos....
telegrama - correios e telegrafos
Cremar o morto
Um brasileiro, de passagem por Lisboa, foi surpreendido com a notícia de
que um amigo seu, português, havia falecido e seria enterrado naquela tarde.
Chateado com a situação, da perda de um amigo do peito, procurou saber onde
seria o velório e foi para lá.

Ao chegar, viu que no caixão estava o morto inteiramente nu e ao lado um
grande pote cheio de creme, no qual cada um dos presentes metia a mão e
após apanhar um pouco, passava sobre o defunto.
 
Surpreendido pela cena, coisa totalmente estranha para ele, aproximou-se
da esposa perguntou:-
Desculpe-me a ignorância, mas o que estão fazendo é tradição por aqui?
Ao que a esposa respondeu:
- Não! É algo inusitado. Nunca fizemos, mas é que ele pediu para ser cremado...
* Curiosidade linguística:
 P: O que é gajo em Portugal?
 R: O mesmo que cara no Brasil.
Ex: O João é um gajo porreiro. = O João é um cara legal.